As tecnologias de informação e comunicação na prática pedagógica e gestão escolar

  • Elisangela Aparecida Bulla Ikeshoji Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE, Presidente Prudente/SP, Brasil
  • Adriana Aparecida de Lima Terçariol Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE, Presidente Prudente/SP, Brasil
Palabras clave: tecnologías de la información y la comunicación, escuelas

Resumen

O presente artigo apresenta como principal finalidade discutir algumas das especificidades quanto ao uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no cotidiano escolar, especialmente, nas práticas pedagógicas e exercício da gestão, enfatizando a necessidade de formação dos gestores escolares para o uso efetivo desses recursos, de forma contextualizada, significativa e crítica. Para o desenvolvimento deste trabalho, optou-se como procedimento metodológico a realização de uma revisão bibliográfica sistemática nas bases de dados Scielo. A escolha por este tipo de pesquisa se deu em função de possibilitar ao pesquisador ter contato com os conhecimentos já produzidos na área de “Tecnologias e Gestão Escolar”, bem como a identificação de suas ideias principais. Realizou-se o levantamento de publicações científicas, produzidas no Brasil, entre 2004 a 2014, que discutem o uso das tecnologias de informação e comunicação na escola, especialmente, articuladas à gestão escolar. Os descritores utilizados foram os seguintes: “Tecnologias na Escola” e “Gestão Escolar”. Como principais resultados obtidos a partir deste estudo, destaca-se a importância do desenvolvimento de processos de formação em serviço que favoreçam aos gestores escolares e respectivas equipes momentos de reflexões em pares e a percepção da necessidade da construção de uma cultura colaborativa e digital no âmbito escolar.

Citas

[1] Terçariol, A. A. L. Um olhar para a formação de formadores em contextos on-line: os sentidos construídos no discurso coletivo. 2009. Dissertação (Doutorado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/PUC-SP – São Paulo.
[2] Valente, J. A. Curso de Especialização em Desenvolvimento de Projetos Pedagógicos com o Uso das Novas Tecnologias: Descrição e Fundamentos. In: Valente, J. A.; Prado, M. E. B. B.; Almeida, M. E. B. (org). Formação de Educadores a Distância Via Internet. São Paulo: Avercamp, 2003.
[3] Di Palma, M. S. Organização do trabalho pedagógico. Curitiba: InterSaberes, 2012.
[4] Moura, M. L. S.; Ferreira, M. C.; Paine, P. A. Manual de elaboração de projetos de pesquisa. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1998.
[5] Azevedo, N. P. G.; Bernardino Junior, F. M.; Daroz, E. P.. O professor e as novas tecnologias na perspectiva da análise do discurso: (des) encontros em sala de aula. Ling. (dis)curso, Tubarão, v. 14, n. 1, Apr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[6] Abar, C. A. A. P.; Alencar, S. V.. A Gênese Instrumental na interação com o GeoGebra: uma proposta para a formação continuada de professores de matemática. Bolema, Rio Claro, v. 27, n. 46, Aug. 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[7] Costa, G. L. M.. Mudanças da cultura docente em um contexto de trabalho colaborativo mediado pelas tecnologias de informação e comunicação. Perspect. ciênc. inf., Belo Horizonte , v. 13, n. 1, Apr. 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[8] Silva, C. M. T.; Azevedo, N. S. N.. O significado das tecnologias de informação para educadores. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro , v. 13, n. 46, Mar. 2005. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[9] Costa, I. B. Uma inovação aparente. Educ. rev., Curitiba, n. 36, 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[10] Saito, F. S.; Ribeiro, P. N. S. (Multi) Letramento(S) digital(is) e teoria do posicionamento: análise das práticas discursivas de professoras que se relacionaram com as tecnologias da informação e comunicação no ensino público. Rev. bras. linguist. apl., Belo Horizonte, v. 13, n. 1, Mar. 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[11] Martins, A. M. Gestão de escola pública: análise de uma proposta de intervenção. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 37, n. 132, Dec. 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[12] Miranda, F. D. S. S. Integração das tecnologias digitais da informação e comunicação em contextos educacionais: análise de três momentos de um curso oficial de formação de professores. Trab. linguist. apl., Campinas, v. 53, n. 1, June 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[13] Pires, M. A.; Veit, E. A. Tecnologias de Informação e Comunicação para ampliar e motivar o aprendizado de Física no Ensino Médio. Rev. Bras. Ensino Fís., São Paulo, v. 28, n. 2, June 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[14] Espinoza, L. M. G. El desplazamiento de prácticas impresas y la apropiación de prácticas digitales: un estudio con alumnos del bachillerato tecnológico aprendiendo a usar la computadora en la escuela. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro , v. 11, n. 31, Apr. 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[15] Heckert, A. L. C.; Rocha, M. L.. A maquinaria escolar e os processos de regulamentação da vida. Psicol. Soc., Belo Horizonte , v. 24, n. spe, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[16] Guimaraes, S. D. Pesquisa colaborativa: uma alternativa na formação do professor para as mídias. Ci. Inf., Brasília, v. 33, n. 1, Apr. 2004. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[17] Demo, P. Rupturas urgentes em educação. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro , v. 18, n. 69, Dec. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[18] Junquilho, G. S.; Almeida, R. A.; Silva, Alfredo R. L.. As "artes do fazer" gestão na escola pública: uma proposta de estudo. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, June 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[19] Vosgerau, D. S. R. A tecnologia nas escolas: o papel do gestor neste processo. In: Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação no Brasil: TIC Educação 2011. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2012. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2015.
[20] Almeida, M. E. B. Tecnologias e gestão do conhecimento na escola. In: Vieira, A. T.; Almeida, M. E. B.; Alonso, M. Gestão educacional e tecnologia. São Paulo: Avercamp, 2003, p. 113-130.
[21] Vieira, A. T.; Almeida, M. E. B.; Alonso, M. (orgs). Gestão Educacional e Tecnologia. São Paulo: Avercamp, 2003.
[22] Paro, V H. Formação de gestores escolares: a atualidade de José Querino Ribeiro. Educ. Soc., Campinas , v. 30, n. 107, Aug. 2009, p. 453-467. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[23] Costa, J. A.; Figueiredo, S. Quadros de referência para o desempenho dos líderes escolares. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro , v. 21, n. 79, June 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[24] Almeida, M. E. B. Escola em Mudança: experiências em construção e redes colaborativas de aprendizagem. In: Alonso, M.; Almeida, M. E. B.; Masetto, M. T.; Moran, J. M.; Vieira, A. T. Formação de Gestores Escolares para a utilização de Tecnologias de Informação e Comunicação. 2002. São Paulo, Takano, Editora e Gráfica. p. 41-62.
[25] Prado, M. E. B. B.; Valente, J. A. A educação a distância possibilitando a formação do professor com base no ciclo da prática pedagógica. In: Moraes, M. C. (org.). Educação a distância: fundamentos e práticas. Campinas: UNICAMP/NIED, 2002, p. 27-50. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2015.
[26] Neto, A. C.; Castro, A. M. D. A.. Gestão escolar em instituições de ensino médio: entre a gestão democrática e a gerencial. Educ. Soc., Campinas , v. 32, n. 116, Sept. 2011. Disponível em: .Acesso em: 15 fev. 2015.
[27] Schön, D. A. Formar Professores como Profissionais Reflexivos. In: Nóvoa, A. (coord.). OsProfessores e a sua Formação. Lisboa, Portugal: Publicações Dom Quixote de Inovação Educacional, 1997, pp. 77-91.
[28] Alves, W F. Gestão escolar e o trabalho dos educadores: da estreiteza das políticas à complexidade do trabalho humano. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n.110, Mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[29] Rocha, M. L.. Inclusão ou exclusão? Produção de subjetividade nas práticas de formação. Psicol. estud., Maringá , v. 13, n. 3, Sept. 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2015.
[30] Freire, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
[31] Tardif, M. Saberes professores e formação profissional. 11. ed. Petrópolis. Rio de Janeiro: Vozes, 2010.
[32] Aguiar, M. A. da S. Gestão da educação e a formação do profissional da educação no Brasil. In: Aguiar, M. A. da S (org). Gestão da educação: impasses, perspectivas e compromissos. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2011, p. 193-210.
[33] Schön, D. A. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad. Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre, Editora ARTMED. 2000.
[34] Delval, J. Crescer e pensar: a construção do conhecimento na escola. Tradução de Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
[35] Terçariol, A. A. L. Um desafio na formação de educadores: a vivência e desenvolvimento de valores humanos usando as tecnologias. 2003. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp – Presidente Prudente.
[36] Papert, S. Constructionism: A New Opportunity for Elementary Science Education. A proposal to the National Science Foundation. Cambridge, Massachusetts: Massachusetts Institute of Tecnology, Media Laboratory, Epistemology and Learning Group, 1986.
[37] Pozzo, J. I.; Echeverria, M. P. As concepções dos professores sobre a aprendizagem: rumo a uma nova cultura educacional. Pátio – Revista Pedagógica. N. 16 Fev-Abril 2001, p.19-23.
Publicado
2015-06-01
Cómo citar
IkeshojiE. A. B., & TerçariolA. A. de L. (2015). As tecnologias de informação e comunicação na prática pedagógica e gestão escolar. Revista Iberoamericana De Tecnología En Educación Y Educación En Tecnología, (15), p. 51-62. Recuperado a partir de https://teyet-revista.info.unlp.edu.ar/TEyET/article/view/347
Sección
Artículos originales