Possibilidades de Uso do ChatGPT nas Práticas Pedagógicas da Educação Profissional e Tecnológica (EPT): uma Revisão Sistemática de Literatura

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.24215/18509959.37.e4

Palabras clave:

practicas pedagogicas, educación profesional y tecnológica, inteligencia artificial generativa, chatgpt

Resumen

La reciente introducción de la inteligencia artificial generativa de ChatGPT ha generado especulación sobre el uso de esta tecnología en varios sectores y, en particular, en la Educación. Para investigar las potencialidades en este contexto, se llevó a cabo una revisión sistemática de la literatura sobre el uso de este recurso en prácticas pedagógicas para identificar las posibilidades de aplicación de esta tecnología en la Educación Profesional y Tecnológica (EPT). Para ello, se identificaron 26 estudios primarios en las bases Periódicos Capes, Science Direct y Scopus. El análisis reveló que la mayoría de las prácticas se llevaron a cabo en la educación superior, en enfoques multidisciplinarios y para evaluar la percepción de los usuarios sobre el rendimiento de ChatGPT en tareas académicas. Las metodologías empleadas señalan el potencial de la herramienta en el apoyo al aprendizaje, pero destacan la precaución para su uso responsable. Las características identificadas, además, mostraron adherencia a los supuestos de la Educación Profesional, aunque señalan la necesidad de nuevos estudios para comprender mejor la aplicabilidad de la inteligencia artificial en este contexto.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Carlos Fischer, Instituto Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), é Pós-graduado em Psicopedagogia Institucional pela Universidade Castelo Branco (UCBRJ) e Mestrando em Educação Profissional e Tecnológica pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Atualmente é professor titular de Língua Inglesa no Colégio Positivo e Colégio Solução | Fleming em Florianópolis.

Douglas Juliani, Instituto Federal de Santa Catarina

É pós-doutor, doutor e mestre em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, graduado em Ciências da Computação. Atuou por 8 anos como gestor da empresa, WebPack Assessoria e desenvolvimento de software. Foi também professor nas universidades ESAG - UDESC e Estácio de Sá. Atualmente é professor efetivo do IFSC - Instituto Federal de Educação. Vinculado ao programa de Mestrado Profissional em Educação Profissional. No IFSC, atuou, dentre outras frentes, durante 8 anos junto a Pró-Reitoria de Extensão e Relações Externas e como Editor Geral da Caminho Aberto: revista de extensão do IFSC. Foco de trabalho e estudo nas seguintes temáticas: inovação, tecnologias educacionais, práticas educativas inovadoras, extensão universitária, gestão do conhecimento, comportamento humano e organizacional.

Sabrina Bleicher, Instituto Federal de Santa Catarina

Doutora em Mídias do Conhecimento pelo Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (UFSC). Mestre em Design (Estudos Editoriais) pela Universidade de Aveiro, em Portugal (2009), com título validado pelo MEC. Possui graduação em Design pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007), na qual obteve diploma de mérito estudantil por ter obtido o melhor índice de aproveitamento. Tem experiência na área de Design e Educação a Distância, atuando principalmente nos seguintes temas: tecnologias educacionais, produção de material didático, design gráfico e instrucional e integração entre mídias impressa e digital. Trabalhou no Departamento de Comunicação da Robert Bosch Gmbh - Portugal/Alemanha (2009/2010) - onde desenvolveu atividades relacionadas a programação visual e coordenou projetos gráficos de publicações internas e externas à empresa. Atuou como designer instrucional da UnisulVirtual, Universidade de Educação à Distância da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL, 2010/2011). Atuou também como Professora Pesquisadora UAB no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC/2013) na equipe multidisciplinar de produção de materiais didáticos. No período de 2012 a 2016 trabalhou no Centro de Educação a Distância da Universidade do Estado de Santa Catarina (CEAD/UDESC), onde atuou como designer gráfica e instrucional de recursos didáticos (impressos e digitais) para Educação a Distância e como docente de disciplinas na modalidade EaD para o curso de Pedagogia a Distância. No período de 2016 a 2022 atuou como professora do Centro de Referência em Formação e EaD do Instituto Federal de Santa Catarina (CERFEAD/IFSC), onde foi Coordenadora Adjunta do Curso de Pós-Graduação (Especialização) em "Formação Pedagógica para a Docência na Educação Profissional e Tecnológica", coordenadora da equipe docente da área de Tecnologias na Educação (2016 a 2019), Coordenadora de Articulação EAD junto aos câmpus do IFSC (2016 a 2021). Também atuou, neste centro, como docente em cursos e unidades curriculares de Pós-Graduação (Especialização), Formação Continuada e Pronatec nas áreas de Educação a Distância e Tecnologias para Educação. Desde 2023 atua como docente da área de Tecnologias e Mídias Digitais no Câmpus Florianópolis-Continente do IFSC.

Citas

E. Kasneci et al., "ChatGPT for good? On opportunities and challenges of large language models for education," Learning and individual differences, vol. 103, p. 102274, 2023.

J. C. Libâneo, "Pedagogia e pedagogos: inquietações e buscas," Educar em Revista, no. 17, pp. 153-176, 2001.

M. A. S. Franco, "Práticas pedagógicas de ensinar-aprender: por entre resistências e resignações," Educação e Pesquisa, vol. 41, pp. 601-614, 2015.

D. Saviani et al., "O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias," em Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar, Petrópolis: Vozes, 1994, pp. 151-168.

E. M. A. Sobrinho e J. A. Rivera, "A utilização das TIC’s de forma criativa e inovadora no contexto da Educação Profissional e Tecnológica," Educitec-Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, vol. 7, pp. e 110321- e 110321, 2021.

E. F. Barbosa e D. G. de Moura, "Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica,” Boletim Técnico do Senac, vol. 39, no. 2, pp. 48-67, 2013.

J. S. Cunha et al., "Potencialidades e limitações da plataforma Kahoot! no ensino técnico e profissionalizante: um relato de experiência," Revista Iberoamericana de Tecnología en Educación y Educación en Tecnología, vol. 33, pp. 113-121, 2022.

S. Doroudi, "The intertwined histories of artificial intelligence and education," International Journal of Artificial Intelligence in Education, vol. 1, pp. 1-44, 2022.

R. Baltar e C. S. Baltar, "Professores serão substituídos pela inteligência artificial?," Authorea Preprints, 2023.

D. Baidoo-Anu e L. O. Ansah, "Education in the era of generative artificial intelligence (AI): Understanding the potential benefits of ChatGPT in promoting teaching and learning," Journal of AI, vol. 7, no. 1, pp. 52-62, 2023.

O. S. Rodrigues e K. S. Rodrigues, "A inteligência artificial na educação: os desafios do ChatGPT," Texto Livre, vol. 16, p. e 45997, 2023.

M. N. Ramos, História e política da educação profissional, Curitiba: Instituto Federal do Paraná, 2014, vol. 5.

S. M. Manfredi, Educação profissional no Brasil: atores e cenários ao longo da história, Paco Editorial, 2017.

M. Ciavatta, "Trabalho como princípio educativo," in Dicionário da educação profissional em saúde, vol. 2, pp. 408-415, 2009.

S. Valer, A. Brognoli e L. Lima, "A pesquisa como princípio pedagógico na Educação Profissional Técnica de Nível Médio para a constituição do ser social e profissional," in Fórum linguístico, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 2017, pp. 2785-2803.

Ministério da Educação e Cultura, MEC. Plataforma Nilo Peçanha – PNP 2023. [online] Disponível: https://www.gov.br/mec/pt-br/pnp. [Acesso 16 Dez., 2023].

Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, OCDE Education at a Glance 2023: OECD Indicators, OECD Publishing, Paris. [online] Disponível: https://doi.org/10.1787/e13bef63-en.[Acesso 19 Nov., 2023].

BRASIL, Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível: https://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L9394.htm [Acesso 12 Dez., 2023].

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura, MEC. Cursos da EPT. [online] Disponível: http://portal.mec.gov.br/cursos-da-ept [Acesso 8 Dez., 2023].

M. G. N. Mizukami et al, Ensino: as abordagens do processo, São Paulo: EPU, 1986.

L. Mjelde, "Aprendizagem por meio da práxis e compartilhamento: Lev Vygotsky e a pedagogia da educação profissional," Boletim Técnico do Senac, vol. 41, no. 3, pp. 30-53, 2015.

J. Moran, "Tecnologias digitais para uma aprendizagem ativa e inovadora," em A Educação que Desejamos: novos desafios e como chegar lá, vol. 5, p. 1-232, 2017.

G. C. D. Filho," Aprender fazendo: guia de estratégias didáticas para a Educação Profissional," Dissertação de Mestrado. Instituto Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2019.

M. A. Costa, G. Ribeiro e E. A. Mossin, "Inteligência artificial: contributos para a prática docente na educação profissional,"Conexões-Ciência e Tecnologia, vol. 17, p. 022018, 2023.

A. P. Siddaway, A. M. Wood and L. V. Hedges, "How to do a systematic review: a best practice guide for conducting and reporting narrative reviews, meta-analyses, and meta-syntheses," Annual review of psychology, vol. 70, pp. 747-770, 2019.

M. C. B. Galvão and I. L. M. Ricarte, "Revisão sistemática da literatura: conceituação, produção e publicação,"Logeion: Filosofia da informação, vol. 6, no. 1, pp. 57-73, 2019.

D. Dermeval, J. A. P. de M. Coelho e I. I. Bittencourt, "Mapeamento sistemático e revisão sistemática da literatura em informática na educação," em Metodologia de Pesquisa Científica em Informática na Educação: Abordagem Quantitativa, Porto Alegre: SBC, 2020.

M. J. Page et al., "A declaração PRISMA 2020: diretriz atualizada para relatar revisões sistemáticas," Revista Panamericana de Salud Pública, vol. 46, p. e112, 2023.

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq. Tabela das Áreas do Conhecimento. [online] Disponível: https://www.fap.com.br/sepesq_arquivos/tabela_cnpq.pdf. [Acesso 26 Dez., 2023]

Publicado

2024-05-22

Cómo citar

[1]
C. Fischer, D. Juliani, y S. Bleicher, «Possibilidades de Uso do ChatGPT nas Práticas Pedagógicas da Educação Profissional e Tecnológica (EPT): uma Revisão Sistemática de Literatura », TEyET, n.º 37, p. e4, may 2024.