Oportunidades e Desafios no Cenário de (Pós-)Pandemia para Transformar a Educação Mediada por Tecnologias

Autores/as

  • Silvia Dotta Universidade Federal do ABC
  • Edson Pimentel UFABC
  • Ismar Frango Silveira Universidade Presbiteriana Mackenzie e Universidade Cruzeiro do Sul
  • Juliana Cristina Braga Universidade Federal do ABC

DOI:

https://doi.org/10.24215/18509959.28.e19

Palabras clave:

Ensino remoto emergencial, Educação mediada por tecnologias, Práticas pedagógicas

Resumen

Sem aulas presenciais, a pandemia do SARS-CoV-2 impôs, para a continuidade dos processos de ensino- aprendizagem, o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) na forma de um conjunto de ferramentas, via internet. De forma emergencial, professores e estudantes foram instados a utilizar computadores e celulares, por meio de plataformas virtuais, para experiências de aprendizagem. A esperada transformação da Educação, do modelo massivo transmissivo para uma aprendizagem ativa, com o suporte das tecnologias finalmente poderia tornar-se uma realidade. Contudo, vulnerabilidades existentes mas subreptícias e ignoradas foram reveladas e evidenciadas. Destaca-se o fato de que muitas pessoas não têm acesso a computador, nem à internet com velocidade e volume de acesso suficientes. Muitos professores não possuem conhecimento pedagógico adequado para uso dessas ferramentas nas suas práticas educativas. Mesmo assim, muitas experiências de uso de TIC na Educação têm ocorrido nesse cenário de pandemia na forma de ensino remoto emergencial. Planejamentos para um pós- pandemia já contemplam a Educação híbrida. Este ensaio objetiva discutir aspectos a serem considerados no contexto da Educação mediada por tecnologias, mesmo

em um cenário emergencial. É um convite para uma reflexão sobre as práticas pedagógicas e as possibilidades de mediação da aprendizagem com o uso das TIC.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Silvia Dotta, Universidade Federal do ABC

Docente da UFABC - Universidade Federal do ABC, é doutora em Educação pela FEUSP. Integra o grupo de pesquisa INTERA, onde desenvolve pesquisas sobre divulgação científica e mediação da aprendizagem por tecnologias.

Edson Pimentel, UFABC

Docente da UFABC - Universidade Federal do ABC, é douto em Computação pelo ITA - Instituto Tecnológico de Aeronáutica. Integra o grupo de pesquisa INTERA e desenvolve pesquisas sobre computação aplicada à Educação.

Ismar Frango Silveira, Universidade Presbiteriana Mackenzie e Universidade Cruzeiro do Sul

Docente da Universidade Presbiteriana Mackenzie e da Universidade Cruzeiro do Sul, é doutor em Engenharia Elétrica pela USP (2003). Atua nas áreas de Informática na Educação, Jogos Digitais, Sistemas Inteligentes e Sistemas Interativos.

Juliana Cristina Braga, Universidade Federal do ABC

Docente da UFABC e doutora em Computação Aplicada pelo INPE (2004). Membro do grupo de pesquisa INTERA onde pesquisa nas áreas de Informática na Educação, Interação Humano Computador e Engenharia de Software.

Citas

SBC. Grandes Desafios da Pesquisa em Computação no Brasil – 2006-2016. Sociedade Brasileira de Computação, 2006.

E. P. Pimentel and A. Direne, “Apresentação dos anais do I Desafie!,” in I workshop de desafios da computação aplicada à Educação, Curitiba, 2012.

M. Pimentel and F. S. P. Carvalho, “Princípios da Educação On-line: para sua aula não ficar massiva nem maçante!,” SBC Horizontes, 2020. [Online]. Available:

C. Hodges, S. Moore, B. Lockee, T. Trust and A. Bond, A. “The difference between emergency remote teaching and on-line learning,” Educause Review, no. 27, 2020.

B. Cope and M. Kalantzis, “Towards a new learning: The scholar social knowledge workspace, in theory and practice,” E-learning and Digital Media, vol. 10, no. 4, pp. 332-356, 2013.

E. Santos, “Educação on-line para além da ead: um fenômeno da cibercultura,” in Educação On-line: cenário, formação e questões didático-metodológicas. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2010.

B. Means, M. Bakia and R. Murphy, Learning on-line: What research tells us about whether, when and how. Nova Iorque: Routledge, 2014.

R. M. Branch and T. A. Dousay, Survey of instructional design models, association for educational communications and technology. Indiana: AECT, 2015.

J. A. M. Menezes Júnior and K. M. Rocha, “O desenvolvimento do aplicativo APPrendendo como incentivo à utilização do Tablet Educacional,” Revista Iberoamericana de Tecnología en Educación y Educación en Tecnología, no. 21, pp. 32-40, 2018.

L. Bacich, A. Tanzi Neto and F. M. Trevisani,

Ensino híbrido: Relato de formação e prática docente para a personalização e o uso integrado das tecnologias digitais na Educação. Porto Alegre: Penso, 2016.

M. B. Horn and H. Staker, Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a Educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

J. A. Valente and F. J. De Almeida, “Visão analítica da informática na Educação no brasil: a questão da formação do professor,” Revista Brasileira de Informática na Educação, vol. 1, no. 1, pp. 45-60, 1997.

V. A. da Costa and E. S. Leme, “Tecnologias na Educação. Desafios à formação e à práxis. Educação. Desafios à formação e à práxis,” Revista Iberoamericana de educación, vol. 65, 2014.

M. L. Fernandes and I. F. Silveira, “Informática na formação inicial de professores: um estudo das licenciaturas em matemática do estado de São Paulo,” Pesquisas e Práticas em Educação: Matemática e Ciências, vol. 1, pp. 85-101, 2009.

L. Ureta and G. R. Beiram, “Las TAC en la construcción de conocimiento disciplinar: una experiencia de aprendizaje con estudiantes universitários,” Revista Iberoamericana de Tecnología en Educación y Educación en Tecnología, no. 26, pp. 100-109, 2020.

P. Perrenoud, “Dix nouvelles compétences pour un métier nouveau,” in Professores de Português: Quem somos? Quem podemos ser?, Lisboa: Associação de Professores de Português, 2001, pp. 47-54.

P. Perrenoud and M. G. Thurler, As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2007.

L. Tomczyk, M. A. Eliseo, V. Costas, G. Sánchez, I. F. Silveira, M. J. Barros and S. S. Oyelere, “Digital divide in latin america and europe: Main characteristics in selected countries,” in 14th Iberian Conference on Information Systems and Technologies (CISTI), Lisboa, 2019, pp. 1-6.

C. A. d. L. H. Amato, I. F. Silveira, M. A. Eliseo and V. F. Martins, “ICT in education fostering inclusion–the brazilian context,” in ICT for learning and inclusion in latin America and Europe. Cracóvia: Uniwersytet Pedagogiczny w Krakowie, 2020, pp. 35-54.

P. Freire, Extensão ou comunicação?. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2014.

S. Dotta and L. R. Le, “Aula-ensaio: a produção de um discurso audiovisual nas videoaulas do curso de extensão a distância,” Revista EDaPECI , vol.19, no. 1, pp. 58-72, 2019.

M. Bakthin, Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

S. Dotta, Aulas virtuais síncronas: Condução de webconferência multimodal e multimídia em Educação a distância. Santo André: Editora UFABC, 2014.

R. Tori, Educação sem distância: as tecnologias interativas na redução de distâncias em ensino e aprendizagem. São Paulo: Artesanato Educacional, 2018.

L. Harasim, “Educational applications of computer conferencing,” International Journal of E-Learning & Distance Education/Revue internationale du e-learning et la formation à distance, vol. 1, no. 1, pp. 59-70, 1986.

M. G. Moore, “Teoria da distância transacional,” Revista brasileira de aprendizagem aberta e a distância, vol. 1, pp. 1-14, 2002.

L. A. Marcuschi, “Gêneros textuais: definição e funcionalidade,” in Gêneros textuais e ensino. vol. 20, pp. 1-16, 2002.

S. C. Dotta, “Aprendizagem dialógica em serviços de tutoria pela internet: estudo de caso de uma tutora em formação em uma disciplina a distância,” Ph. D. thesis, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

J. Haymore Sandholtz, C. Ringstaff and D. C. Dwyer.

Ensinando com tecnologia: criando salas de aulas centradas nos alunos. Porto Alegre: Artes médicas, 1997, p. 196.

P. Demo, Educar pela pesquisa. Rio de Janeiro: Autores Associados, 2011.

E. F. Barkley, K. P. Cross, and C. H. Major, Collaborative learning techniques: A handbook for college faculty. New York: John Wiley & Sons, 2014.

H. E. Bosch et al., “Innovaciones didácticas para ciências y matemática asistidas por TIC,” Revista Iberoamericana de Tecnología en Educación y Educación en Tecnología, no. 19, pp. 60-64, 2017.

A. Diesel, A. L. Santos Baldez, and S. Neumann Martins, “Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica,” Revista Thema vol. 14, no. 1, pp. 268-288, 2017.

C. da Silva Souza, A. Giraldes Iglesias and A. Pazin- Filho, “Estratégias inovadoras para métodos de ensino tradicionais–aspectos gerais,” Medicina (Ribeirão Preto. On-line), vol. 47, no. 3, pp. 284-292, 2014.

Publicado

2021-04-01

Cómo citar

[1]
S. . Dotta, E. Pimentel, I. . Frango Silveira, y J. C. . Braga, «Oportunidades e Desafios no Cenário de (Pós-)Pandemia para Transformar a Educação Mediada por Tecnologias», TEyET, n.º 28, p. e19, abr. 2021.

Número

Sección

Artículos originales