Utilização da Linguagem de Programação Scratch na Aprendizagem de Funções do 1º Grau

  • Sandra Mara Oselame Riboldi Secretaria Estadual de Educação do Estado de Santa Catarina
  • Janice Teresinha Reichert Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS
Palabras clave: Português (Brasil)

Resumen

Este trabalho investiga as possíveis contribuições da linguagem de programação Scratch na introdução do conceito de funções, em uma turma de 9º ano de uma escola pública estadual de Santa Catarina, Brasil. A pesquisa ação foi realizada durante os meses de março até maio de 2019 e teve duração de 20 encontros, num total de 30 horas, com a participação de 26 estudantes. As atividades foram construídas com base na teoria da Aprendizagem Significativa e do Construcionismo. Os participantes foram avaliados antes e após o desenvolvimento das atividades, para verificação dos subsunçores (conhecimentos prévios) e evolução na aprendizagem, com questões relacionadas ao uso de tecnologias, lógica de programação, conhecimentos sobre o Scratch e conteúdo de funções do 1° grau. Os resultados analisados de forma qualitativa, apontam para uma significativa melhora na aprendizagem do conceito de funções do 1º grau, maior interesse por Matemática e curiosidade em aprender.

Biografía del autor/a

Sandra Mara Oselame Riboldi, Secretaria Estadual de Educação do Estado de Santa Catarina

Licenciada em Matemática pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó. Mestra em Matemática pelo Mestrado Profissionalizante em Matemática em Rede Nacional – PROFMAT.

Janice Teresinha Reichert, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS

Professora Associada da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Chapecó - SC. Pós Doutora em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.

Citas

V. M. Kenski, Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Editora Papirus, 2012.

M. E. B. Almeida and J. A. Valente, “Integração Currículo e Tecnologias e a produção de narrativas digitais,” Revista currículo sem Fronteiras, vol. 12, no. 3, pp. 57-82, 2012.

J. L. Gasparin, Uma Didática para a Pedagogia Histórico-Crítica. Campinas: Autores Associados, 2009.

P. Gerdes, Os manuscritos filosóficos matemáticos de Karl Marx sobre o cálculo diferencial: uma introdução. Morrisville, United States: Lulu.com, 2008.

Brasil. “Base Nacional Comum Curricular.” Ministério da Educação, MEC, 2018.

M. Resnick, “Learn to Code Code to Learn.” EdSurge, 2013. [Online]. Available: http://web.media.mit.edu/~mres/papers/L2CC2L-handout.pdf

N. Calder, “Using Scratch: an integrated problem-solving approach to mathematical thinking,” Australian Primary Mathematics Classroom (APMC), vol. 15, no. 4, pp. 9-14, 2010.

A.S. Pinto, “Scratch na aprendizagem de matemática no 1º Ciclo do Ensino Básico: estudo de caso na resolução de problemas,” Dissertação de Mestrado em Estudos da Criança – Tecnologias de Informação e Comunicação, Universidade de Minho, Guimarães, 2010.

J. Piaget, The Grasp of Consciousness: Action and Concept in the Youg Child. Cambridge, Mass: Harvard University, 1976.

S. Papert, A Máquina das Crianças: Repensando a Escola na Era da Informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

P. Miotto and V.C. Cardoso, “A Utilização do software Scratch para o ensino e a aprendizagem do conceito de função,” in Cadernos PDE. Os desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do Professor, Curitiba: SEED/PR, 2014, vol. I.

D. C. Sousa, C.F. Silva, M.C. Barbosa and J. L. Cavalcante, “Uma Proposta de Aplicação da Linguagem de Programação Scratch no Ensino de Funções Afim,” presented at III CONEDU - Congresso Nacional de Educação, Natal, RN, 2016.

D. P. Ausubel, Educational Psychology: a cognitive view. New York, USA: Holt, Renehartand Wintan Inc., 1968.

D. P. Ausubel, Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano. Edições Técnicas. Tradução ao português de Lígia Teopisto, do original The acquisition and retention of knowledge: a cognitive view, 2006.

M. A Moreira, E. F. S Masini, Aprendizagem Significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Editora Moraes Ltda, 1982.

D. P. Ausubel, J. D. Novak, H. Hanesian, Psicologia Educacional. Trad. Eva Nick e outros. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

M. A. Moreira, Aprendizagem Significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2011.

A.R. Gonçalves, Matemática para cursos de graduação: contexto e aplicações. 2016.

K. S. Smole, M. I. Diniz and E. Milani, Cadernos do Mathema: Jogos de Matemática do 6º ao 9º ano. Porto Alegre: Artmed, 2007.

S. Papert, Logo: computadores e educação. Tradução de José Armando Valente, Beatriz Bitelman. Afira V. Ripper. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986.

D. P. Ausubel, Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano. Edições Técnicas. Tradução ao português de Lígia Teopisto, do original The acquisition and retention of knowledge: a cognitive view, 2006.

Publicado
2020-10-12
Cómo citar
RiboldiS. M. O., & ReichertJ. T. (2020). Utilização da Linguagem de Programação Scratch na Aprendizagem de Funções do 1º Grau. Revista Iberoamericana De Tecnología En Educación Y Educación En Tecnología, (26), e7. https://doi.org/10.24215/18509959.26.e7
Sección
Artículos originales