Os Quatro Pilares Educacionais no Processo de Ensino e Aprendizagem de Matemática

  • Edel Alexandre Silva Pontes Instituto Federal de Alagoas

Resumen

Com todo avanço tecnológico, percebe-se que o fracasso no ensino de matemática na educação básica, muitas vezes, está vinculado à prática pedagógica adotada pelos professores. Este artigo tem como objetivo apresentar uma nova proposta de ensino e aprendizagem de matemática na educação básica, chamado Processo – RICA. A base deste processo fundamenta-se em quatro pilares educacionais: Raciocínio Lógico, Inteligência matemática, Criatividade e Aprendizagem. Os dados foram levantados, a partir, de um estudo de caso com seis alunos voluntários de um curso técnico de informática do Instituto Federal de Alagoas e a análise desses dados evidenciou que o processo - RICA é uma proposta metodológica visivelmente adaptável, moderna e inovadora para o entendimento dos tópicos de matemática e contribui para obter novas possibilidades para assimilação desta ciência tão provocativa e essencial para a explicação dos fenômenos da natureza.

Biografía del autor/a

Edel Alexandre Silva Pontes, Instituto Federal de Alagoas

Doutor em Ciências da Educação (Ensino de Matemática), Mestre em Estatística, Licenciado em Matemática. Professor de Matemática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas e Diretor Geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Alagoas – Campus Rio Largo.

Citas

M. Dos Santos Costa, N. S. G. Allevato, “Ensino-aprendizagem-avaliação de proporcionalidade através da resolução de problemas: uma mudança no pensar sobre o ensino de matemática,” Encontro de Produção Discente PUCSP/Cruzeiro do Sul, v. 1, n. 1, 2013.

E. Curi, “A formação matemática de professores dos anos iniciais do ensino fundamental face às novas demandas brasileiras,” Revista Iberoamericana de Educación, v. 37, n. 5, p. 1-10, 2005.

D. Fiorentini, “Alguns modos de ver e conceber o ensino da matemática no Brasil,” Zetetiké, v. 3, n. 1, p. 1-38, 1995.

A. Q. Reis, C. M. Nehring, “A contextualização no ensino de matemática: concepções e práticas. Educação Matemática Pesquisa,” Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, v. 19, n. 2, 2017.

I. K. Alves, A. R. T. Velho, R. Barwaldt, “Repensando a forma de ensinar e aprender a divisão por meio das Tecnologias Digitais. REMAT,” Revista Eletrônica da Matemática, v. 2, n. 2, p. 105-121, 2016.

L. Serrazina, “A formação para o ensino da Matemática: perspectivas futuras,” A formação para o ensino da matemática na educação pré-escolar , n. 1º, p. 9-19, 2002.

E. M. Duarte, L. M. Calejon, “Objetos de aprendizagem: Uma análise da aprendizagem matemática e suas concepções tecnológicas,” Revista de Ensino de Ciências e Matemática. v.6, n.1, p. 1-11, 2015.

P. E. A. Ferreira, R. L. C. Buriasco, “Educação matemática realística: uma abordagem para os processos de ensino e de aprendizagem,” Educação Matemática Pesquisa. v.18, n.3, p. 337-352, 2016.

S. P. G. Moraes, et al. “Avaliação do processo de ensino e aprendizagem em Matemática: contribuições da teoria histórico-cultural,” Bolema- boletim de Educação Matemática, v. 22, n. 33, p. 97-116, 2009.

C. A. Paratelli, et al. “A escrita no processo de aprender matemática,” Revista de educação matemática, v. 9, n. 1, p. 23-29, 2005.

E. A. S. Pontes, “Os números naturais no processo de ensino e aprendizagem da matemática através do lúdico,” Diversitas Journal, v. 2, n. 1, p. 160-170, 2017.

E. A. S. Pontes, et. al. Refletindo a Educação frente aos desafios da contemporaneidade. Maceió: IFAL, 2013

L. S. Shulman, “Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma”. Cadernos Cenpec - São Paulo. v.4, n.2, p.196-229, dez. 2014

C. B. Nunes, “Resolução de problemas: uma proposta didática na formação de professors”. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 5, n. 2, p. 1-17, 2015

B. S. D’ Ambrosio, “Como ensinar matemática hoje? Temas e Debates”. SBEM. Ano II. N2. Brasília. 1989. P. 15-19, 1989.

L. C. Pais, Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. 2.ed. Belo horizonte: Autêntica, 2002.

B. S. D’ Ambrosio, Etnomatemática – Elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2 ed. 2002.

E. L. Lima, Matemática e Ensino. Rio de Janeiro: SBM, 3 ed. 2007.

M. L. M. Gomes, Quatro visões iluministas sobre a educação matemática. Campinas: UNICAMP, 2008.

A. J. S. dos Anjos, I. M. Greca, M. A. Moreira, “As equações matemáticas no ensino de Física: Uma análise de conteúdos em livros didáticos de Física,” Revista electrónica de enseñanza de las ciencias. Ourense. Vol. 14, no. 3, p. 312-325, 2015.

A. J. Severino, Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 22 ed., 2002.

R. J. Sternberg, Psicologia Cognitiva. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

U. O. Castro, Raciocínio lógico-matemático e o desenvolvimento moral. Curitiba, 2001.

I. L. Percora, Estimulando o raciocínio. São Paulo, 2003.

C. Antunes, As inteligências múltiplas e seus estímulos. São Paulo: Papirus,

H. Gardner, Inteligências Múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

R. Primi, A. A. A. Santos, C. M. Vendramini, Habilidades básicas e desempenho acadêmico em universitários ingressantes. Universidade São Francisco. Estudos de psicologia, 2002.

A. Anastasi, S. Urbina, Testagem Psicológica. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

I. A. Mendes, “Cognição e Criatividade na Investigação em História da Matemática: contribuições para a Educação Matemática,” Revista Alexandria, v.6, n.1, p. 185-204, abril 2013.

D. P. Ausubel, et. al. Educational Psychology: a cognite view. Nova York, Holt, Rinehart and Winston Inc, 1968.

A. S. Godoy, “Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades,” Revista de administração de empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

R. K. Yin, Estudo de Caso-: Planejamento e Métodos. Bookman editora, 2015.

I. K. De Santana, A Aritmética Modular como Ferramenta para as Séries do Ensino Fundamental, 2013.

E. A. Boruchovitch, “A motivação para aprender de estudantes em cursos de formação de professors,” Educação, v. 31, n. 1, 2008.

E. A. S. Pontes, “A Capacidade de Gerar Soluções Eficientes e Adequadas no Processo Ensino e Aprendizagem de Matemática,” Revista Psicologia & Saberes, v. 8, n. 10, p. 193-205, 2019.

Publicado
2019-12-27
Cómo citar
PontesE. A. S. (2019). Os Quatro Pilares Educacionais no Processo de Ensino e Aprendizagem de Matemática. Revista Iberoamericana De Tecnología En Educación Y Educación En Tecnología, (24), e02. https://doi.org/10.24215/18509959.24.e02
Sección
Artículos originales